Curta a sua própria companhia

Data: 22.05.2015  Categoria: Pessoal  Leitura: 5 minutes 

Se curta, curta a sua própria companhia. Esteja bem e confortável consigo para estar bem e confortável com os outros. Quantas vezes você já não ouviu isso? Provavelmente muitas vezes, já que mesmo parecendo clichê, ela pode ser a mais pura verdade, ao menos em partes. Para mim, esta frase faria muito mais sentido se fosse: “Esteja bem consigo para estar bem consigo.”
Nem sempre aturar os outros é fácil, e a verdade é que você não tem obrigação de aturar ninguém, você pode se virar e ir embora quando cansar, o problema é suportar a própria companhia, já que é com ela que você está 24h por dia até o fim da sua vida.

Quer beber e não tem ninguém? Beba sozinho!
Quer sair e não tem companhia? Saia sozinho!

Saia, vá para um bar, beba sua cerveja favorita, leia um livro, escreva, desenhe ou então pegue o seu livro de colorir para adultos e pinte lá mesmo, na mesa do bar. Vão te achar louco? Talvez! Mas quem não é?!
Ah! E nem pense em tocar no celular pra fuçar em Facebook e Whatsapp, se o plano fosse conversar e compartilhar algo com alguém seria mais fácil a pessoa estar lá com você. Deprimente não é estar sozinho em um bar ou cinema, deprimente é você não conseguir ficar sozinho nem por duas horinhas. Mesas de bares não foram feitas só para encher de “amigos” e contar piadas. Onde está escrito isso?!

Você vai se sentir bem. Pode ser estranho pra você no começo, mas a partir do momento que você senta na cadeira e dá o primeiro gole na sua Guinness, ou na Ratos de Porão Red Ale (medalha de ouro na categoria Irish Red Ale), tudo fica melhor e mais gostoso e você esquece do celular automaticamente. Ali só existe você e seus pensamentos, suas ideias e seus sonhos. É a chance que você tem de conversar com você mesmo sem gastar água do chuveiro, achar soluções pra todos os seus problemas e refletir sobre decisões que deve tomar. É melhor que perder o sono na hora de dormir!

post-bebida

Uma das coisas que mais gosto é ficar sozinha, e nem todo mundo entende isso. Chego quando dá, faço o que bem entender, falo com todo mundo (ou não falo com ninguém) e volto pra casa quando quero. É legal ver os olhares curiosos das pessoas e algumas até te dão os parabéns pela atitude.

A certeza de não precisar de ninguém pra nada é libertadora, e não estou dizendo que você não precisa de outra pessoa e ponto, é não precisar de outra pessoa de forma absoluta, é não deixar de fazer o que quer porque está sozinho seja qual for o motivo. É fazer algo de produtivo ou que te faça bem de alguma maneira. Gostar de ficar sozinho não é se afastar de tudo e todos, é apenas se permitir ficar sozinho.
Você pode fazer isso em qualquer lugar, pode ser na praça de alimentação do shopping, no cinema, chegar mais cedo na faculdade, no sofá do Starbucks ou trancado no quarto bebendo cerveja enquanto escreve algo e jogando WoW.
Pare agora de querer a companhia dos outros para fazer qualquer coisa. Tomar uma cerveja, um cinema, um museu, um teatro ou um show. Deixei muito coisa legal passar enquanto esperava respostas e a boa vontade das pessoas.

Nunca gostei de barulho e muita gente perto, gosto de me desligar e ficar sozinha, ouvir o silêncio. Faço tudo melhor quando não existe conversa do meu lado. A boa solidão é sentida como uma necessidade de estar só. Ela só é problema quando vem junto com outros sentimentos: tristeza, rejeição, sensação de abandono.
E quando você sentir vontade de ficar sozinho, fique sozinho, saia sozinho, faça o que quiser fazer sozinho. Não ouça os outros e não deixe ninguém forçar uma companhia que você não quer só porque o outro acha que você está triste ou está com algum problema. Ficar sozinho não é doença, e não significa que existam problemas. Sabe aquele dia que você não tem vontade de conversar? Respeite! Se respeite e faça os outros respeitarem o seu espaço também. Não quer sair sábado a noite? Então não saia, não vá forçado só porque seus amigos te convenceram que vai ser legal. Já dizia Luiza Possi: “Se quiser me convencer, tudo pode ser então, um bom motivo para eu desistir”.

Um momento, seja ele dias, meses, horas ou minutos para chamar de seu, ficar em silêncio, organizar as ideias e pensar na vida é algo muito normal e saudável, auto-isolamento é simbólico e não exclusão física do mundo.

 

PS: Sei que falei muito de cerveja, mas é algo que eu realmente gosto!
Imagem da capa: Splitshire.

Comentários

Be kind / Be nice

Seja o primeiro a comentar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge

%d blogueiros gostam disto: