Chega de Machismo

Data: 06.11.2015  Categoria: Geral, Pessoal  Leitura: 15 minutes 

Sim, infelizmente ainda vamos ver muito machismo, e acredito que as coisas possam piorar antes de ficarem boas de verdade. Por quê? Porque estamos vivendo uma fase de intolerância, violência gratuita, uma fase em que ninguém mais sabe como lidar com as próprias frustrações e buscam culpar algo ou alguém.

” Esse papo de igualdade incomoda mais do que qualquer outro a quem tem poder e acha que o merece mais do que ninguém.” – Carol Patrocinio

A dona do blog Escreva Lola Escreva e a nossa queria, amada e fofa youtuber JoutJout estão sofrendo retaliação de machistas nas últimas semanas por conta do conteúdo em prol dos direitos das mulheres que as páginas abordam (saiba mais).

Não entendo o motivo de tanto ataque. Não consigo achar motivos para os homens agirem na defensiva com as mulheres. Se você não é o troglodita, mal educado, nojento e violento que a gente fala então nada disso é para você, nada disso é para te atacar e ofender, menos ainda pra te prejudicar. Aliás o feminismo não serve pra prejudicar nem dificultar a vida de ninguém. Diria que é uma outra palavra com o mesmo significado de carinho, amor, bom senso e empatia. Se você não é essa pessoa horrível então nos ajude também, nós queremos sim os homens ao nosso lado, nós queremos sim todos que puderem e quiserem estar ao nosso lado. O nosso grito é por socorro.

Estamos vivendo em tempos de intolerância e de raiva. Estamos vivendo em uma fase onde ninguém suporta ou sabe viver com as frustrações e essas pessoas querem culpar alguém pelos próprios problemas. Alguém tem que ser responsável então culpam a mulher que está correndo atrás dos direitos, culpam o negro que está correndo atrás dos direitos, culpam o pobre que recebe o “Bolsa Família” pela própria dificuldade financeira, culpam o médico do “Mais Médicos” pelos problemas na saúde pública, culpam o refugiado que veio pra cá, e como se a política brasileira e todos os partidos políticos se resumissem apenas a duas pessoas, culpam a Dilma e o Lula por qualquer coisa, até mesmo quando se está no site Ego vendo notícia de famosos, a culpa do site e da audiência para esse tipo de assunto existir é deles (engraçado que quem está reclamando leu tudo e perdeu tempo indo se cadastrar pra comentar).

É triste ver como essas pessoas precisam ir até a rede social de alguém e dizer coisas horríveis e fazer ameaças de morte para ela e para a família só para receber atenção. Aliás, é triste ver como essas pessoas precisam jogar toda a frustração de não ter o carro que queria ter no outro que tem, desmerecendo o trabalho que esse outro teve pra comprar. E mesmo essas pessoas que são ricas, nascidas ou não em berço de ouro, tendo ou não que trabalhar, não isenta ela de ter a sensibilidade de ver tudo o que está errado e de lutar ao lado dos que pedem ajuda.

todas juntas

Feminismo não é mulher vs. homem!

“Sabe aquela ideia de que feministas querem que todo mundo aborte, que homens sejam jogados na sarjeta e que mulheres tomem todos os lugares ocupados por eles? Ela foi elevada a milésima potência. Um dos textos do site falso, inclusive, fala que mulheres devem castrar seus filhos homens. Sim, a loucura vai muito além do que a gente poderia esperar. Outro fala sobre uma grande queima de Bíblias. Há momento mais frutífero do que o atual para ter algo assim divulgado em grande escala?” – Carol Patrocinio

Acredito que muito do preconceito com o feminismo é esse, o medo de perder o lugar para uma mulher, que na cabeça de um cara machista é inferior a ele. Ele pensa que vai ser escorraçado do emprego e vão colocar uma mulher no lugar. Um recado para esse tipo de pessoa: Se você for um péssimo funcionário/gerente/presidente na empresa onde trabalha, você vai ser substituído, mas por qualquer um; pelo seu colega de trabalho que almoça com você todos os dias, por um cara que acabou de se formar na faculdade, por uma mulher, por um negro, por um gay ou qualquer outra combinação dessas características que você julga ser inferior a você.

É tanta coisa que a gente deseja desabafar e consertar que nem sabemos bem por onde começar.
Não lembro se já comentei no blog, mas a alguns meses atrás dei uma entrevista (bem pequena) para a Litza Mattos do jornal O Tempo em que ela fala sobre o machismo velado, o machismo que mora nos detalhes.
Claro que das 5 perguntas que ela me fez – e que foram usadas 3 folhas para as respostas – ela conseguiu resumir tudo o que eu disse em 3 linhas. Ela me achou através de um post que fiz aqui no blog, o “Machismo Invisível?“, e minha inspiração para o post foi “O machismo também mora nos detalhes” do ThinkOlga.

Essa semana eu resolvi voltar e ler os comentários, não foram muitos (ainda bem), mas ainda assim tinha coisa chata de ler. Abaixo colei os comentários desses homens e adicionou os meus comentários entre chaves e azul.

“Há bastante exagero nisso tudo {não tem não, e você não vai achar exagero quando sua mulher/filha/mãe chegar em casa reclamando}. Tem gente (homem e mulher) que deve ter tão pouco serviço… Agora, não podemos ter opinião que homem dirige melhor? {Você pode falar que você dirige melhor que sua mulher, pode falar que dirige melhor que a vizinha, pode falar que dirige melhor que a mulher que te cortou no trânsito, mas não que homens dirigem melhor que as mulheres, isso é ser machista. E com certeza não dirige melhor que a Débora Rodrigues!} Se eu disser que acho que mulheres cozinham melhor vão me acusar de machista por atribuir às mulheres uma “superioridade” em cozinhar…é duro. {Você não está atribuindo superioridade em nada, e sabe muito bem disso, mas novamente, você pode dizer que a sua mulher cozinha melhor que você, por exemplo.}

Sobre a famosa frase “o lugar de mulher é na cozinha“. Ela é uma afirmação bem conveniente pois a cozinha é uma lugar bem machista. Homem adora falar isso, mas quando o assunto é ser profissional na área e virar Chef a história muda rapidinho. “Mulher não aguenta a pressão da cozinha” | “Os homens é que vão ter que levar as comprar pro estoque” | “Mulher não aguenta carregar panela pesada“.
Interessante que é bem comum mulheres trabalharem nas praças frias de uma cozinha (confeitaria, saladas, …) e até mesmo na pia de louça e essas panelas passam por lá também.

Mas esse não foi o pior comentário, o pior foi o cara que apareceu querendo inverter a situação e se fazer de vítima. Pra entender direitinho os termos que o cara está usando você pode ler o meu post, a matéria da jornalista ou o post do ThinkOlga (links no início do post).

As mulheres fazem o mesmo, acordem: Womansplaning{É splaining}. Quando uma mulher dedica seu tempo para explicar algo óbvio a um homem, como se ele estivesse interessado ou não fosse capaz de compreender.{Nunca vi mulher fazer isso mas podem ter feito isso com ele. Mas essa parte do “como se ele estivesse interessado” é bem desnecessária, de qualquer forma você está errado em querer inverter as coisas dessa forma e dizer que as mulheres praticam essas violências contra os homens trocando o man por woman nas palavras. Argumento inválido!} Bropriating. Quando, em uma reunião, uma mulher se apropria da ideia de um homem e leva o crédito por ela.{Isso se chama gente filha da puta e homens fazem isso com homens, mas do jeito que você demonstra ser, duvido que uma mulher tenha a chance de abrir a boca ao seu lado sem ser ridicularizada.} Manspreading {????}. Quando no ônibus ou no metrô a mulher fica com a bolsa tomando metade do acento do lado impedindo de o homem sentar direito ou quando fica arrumando os cabelos e esbarrando o cotovelo no homem do lado, ou quando vai amarrar o cabelo e joga ele na cara da pessoa que está atrás, se comportando com uma postura espaçosa que tem a ver com privilégio feminino {Manspreading ou man-sitting, é a prática de se sentar em transporte público com as pernas abertas ocupando o espaço do outro assento e isso não tem nada de privilégio feminino}. Manterrupting {Desistiu de mudar as palavras.}. Quando um homem não consegue concluir sua frase porque é constantemente interrompida pelas mulheres ao redor Gaslighting*. Violência emocional por meio de manipulação psicológica, que leva o homem e todos ao seu redor acharem que ele enlouqueceu ou que é incapaz.{Poxa mulherada, vamos parar de fazer isso com os homens! Vamos parar de falar para eles que eles estão loucos, surtando, que são mal comidos, que o stress deles é falta de rola, que estão exagerando ou que devem estar de TPM!}

Splaining é quando um membro de um grupo privilegiado explica didaticamente algo para o membro de um grupo marginalizado. Geralmente falando exatamente sobre o grupo marginalizado, como se a pessoa do grupo privilegiado soubesse mais sobre o assunto que o outro. Mansplaining é uma variante, como também existe whitesplaining, cissplaning, etc.

E esse mesmo rapaz voltou pra deixar outro recado “Não à violência entre os humanos!!!“. Sim, ele escreveu desse jeitinho mesmo, só que agora não sei se ele quis dizer que não existe violência entre os humanos (querendo dizer que mulher não é humana) e escreveu errado, ou se ele é contra a violência, o que fica bem contraditório com os comentários que fez.

post - chega de machismo info

Não queremos seu “elogio”

Por falar em violência (que não precisa ser exatamente bater e deixar marcas), nenhuma mulher quer receber seus “elogios” na rua. Mas “não há nada que uma mulher goste mais do que ouvir o quanto é bonita”. Mulheres gostam mesmo de ouvir que são bonitas, mas também gostam de ouvir que tem bom gosto, que são inteligentes, assim como os homens também gostam desses elogios e nós precisamos deles em um dia ruim, mas isso quem tem que falar é pai, mãe, namorado, marido e amigos, não um cara que a gente não conhece que passa do nosso lado na rua e se aproxima do ouvido para falar, não do cara que pega pelo braço ou do cara que te segue com o carro na rua.

“Ei gostosa, volta aqui! Delícia”. Isso é ridículo, isso é errado, isso é agressivo e ofensivo. E são esses caras que te xingam de vagabunda se você não olha e não responde. Opa! Mas se você olha e gosta te chamam da mesma coisa! Vai entender!

“Moça, com licença, me desculpe te parar no meio da rua, sei que deve estar indo pro trabalho ou encontrar o namorado, mas só gostaria de dizer, com todo respeito do mundo, que achei você muito bonita.” Esse tipo de cara existe, claro, fiquei super assustada com a abordagem mas ele foi delicado e foi respeitoso. E olha que coisa, o cara não demonstrou interesse nenhum, só quis realmente elogiar e fazer o dia de alguém mais legal.
Já recebi desenho no metrô, um desenho muito fofo e que tenho guardado até hoje, e o rapaz também não demonstrou interesse nenhum, só veio, me entregou e desceu na estação dele.
Porque é que o resto não pode ser doce também?

Fiz um fluxograma pra ajudar a mostrar se o que você (ou o cara) falou é ou não um elogio.

É elogio -

Se ela não gosta de cantadas que não saia na rua então”. Ótimo, só me deixa ganhar na mega-sena então pra poder me sustentar pro resto da vida sem nunca ter que me deslocar até o trabalho.
E porque as mulheres não respondem pros caras já que elas não gostam?Porque você só ouve grosseria de volta, que é vagabunda, metida e louca. E pessoas morrem por fazer isso.

Alguns vídeos:

Nesse vídeo, além de você ver uma mulher sofrendo assédio nas ruas você vê um homem praticando o tal do mansplaining e manterrupting. Perceba que ser interrompido durante uma frase em qualquer discussão acontece e é igualmente chato, mas ninguém é tão bobo que não possa perceber a diferença de ser interrompido em uma discussão calorosa e a de ser interrompida pois o cara acha que o que você fala não vale de nada já que ele acha que sabe mais.
Ele está explicando e justificando as atitudes daqueles homens que assediaram a mulher e dizendo que tudo não passa de um elogio, afinal, ele é homem e sabe melhor que ela sobre o assunto. Sim é isso que ele fala no início do vídeo, que ele sabe mais já que ele é homem, que não há nada que uma mulher goste mais do que ouvir o quanto é bonita e todas as besteiras que os homens falam. Já virou padrão no mundo todo.

 

Abaixo, mais um vídeo de uma “mulher” sendo assediada nas ruas do Egito. No caso a CNN transformou um ator em uma mulher para sair nas ruas e passar por tudo aquilo que nós passamos e sentir tudo o que nós sentimos. Claro que ele também não gostou e sentiu medo.

 

E agora um dos mais importantes, a criadora da campanha “Chega de FiuFiu” se apresentou no TEDxSãoPaulo, falou sobre a campanha e falou sobre a violência sexual.

Eu sei que o post ficou longo, mas muita coisa ainda precisa ser dita. As pessoas precisam entender que o feminismo não é contra o homem e também não é contra ser feminina e quero adicionar também que, embora muitas falem que “mulher não tem que… nada” querendo dizer que mulher não tem que agradar homem nenhum – o que está extremamente correto – o feminismo não é contra aquela mulher que agrada homem. Eu mesma gosto de agradar quem está comigo, gosto de agradar todo mundo, sendo o que for, namorado, amigo, amiga, parente… adoro agradar as pessoas. Agradar (se é o que você quer e gosta de fazer) não está proibido! Vamos parar com o radicalismo e o ódio todo, por favor!
Feminismo, apesar de tudo, não se trata só dos direitos da mulher, o feminismo está ao lado da luta dos direitos de todo mundo, o machismo não prejudica só as mulheres, o machismo prejudica também os gays e aqueles héteros que não são “machinhos”. Um machista capaz de bater em uma mulher só por ser mulher é o mesmo capaz de bater em um gay na Av. Paulista com lâmpada fluorescente, é o mesmo que discrimina negros e é o mesmo que discrimina pobres (e a pessoa não precisa ser rica pra fazer isso).
Uma pessoa que é violenta com um é capaz de ser violenta com qualquer outro. Uma pessoa que discrimina alguém pois acha esse alguém inferior é capaz de discriminar qualquer pessoa.

Uma menina de 16 anos comenta em um vídeo dizendo o que achou dele e aproveita pra contar a sua história e tem que ler como resposta a seguinte besteira:machista1a

“Respeitar você pelo que, exatamente? O que você proporciona que arbitrariamente te garante respeito? Mulheres não respeitam HOMENS por nada, a não ser o fato de que nós poderíamos jogar qualquer uma de vocês através da parede. Então porque nós deveríamos respeitar o sexo mais fraco, quando vocês todas não dão a mínima para nós, em geral?”

E ele não cansa:

machista2a

“O problema é, a vida não gira ao redor dos seus sentimentos e zona de conforto. Na realidade, nós não precisamos respeitar vocês. Porque vocês são o “sexo frágil” por uma razão e por fim se vocês desrespeitam a gente descaradamente, nós podemos jogá-las na parede. Se os seus pais não ensinaram você o senso comum como, “Não desrespeite os homens, porque eles podem bater em você”, então a culpa é deles.”

Pois é, e ainda dizem que machismo não existe!

 

E pra finalizar #FAMOSVAZERUMESCANDALO

Comentários

Be kind / Be nice

  • Homenssss machistas por favor! Acordem! Estamos no século 21!

    Machistas assediadores não tiveram educação de berço

    Muito bom o artigo, bem esclarecedor

  • É inaceitável como ainda existam homens, em pleno spéculo 21, que acham que são “seres superiores” em relação às mulheres. Chega a ser até engraçado quando nos deparamos com homens machistas e com ar de superioridade.
    Os piores são aqueles que acham que são donos das esposas, das filhas e as tratam como suas propriedades, chegando até a ferí-las.
    Amei seu artigo, deveríamos propagar mais estes tipos de mensagens.
    Parabéns!

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    CommentLuv badge

    %d blogueiros gostam disto: