Objetivos tradicionais (Ou fazer porque mais alguém faz)

Data: 17.02.2016  Categoria: Pessoal  Leitura: 8 minutes 

Tudo bem se você quiser morar fora (se for o seu sonho, e apenas isso); tudo bem se você não quiser também. Você não tem que fazer um intercâmbio só porque querem que você faça; tudo bem se você quer apenas viajar nas suas férias e depois voltar pra sua casa, o Brasil.

Tudo bem se você não quiser mudar de emprego, tudo bem se você se sentir feliz e confortável trabalhando 30 anos no mesmo lugar fazendo a mesma coisa. Se você estiver nesse lugar pelos motivos certos isso mostra solidez e estabilização; e estabilizar é bom também. Afinal, você está fazendo o que estudou pra fazer, é justo. Se está feliz de estar onde está você é um puta de um sortudo; e não um acomodado.
Se depois você mudar de ideia e quiser fazer outra faculdade e trabalhar em outras coisas, tudo bem também! Ninguém tem nada com isso e ninguém é obrigado a fazer a mesma coisa pra sempre só porque fez faculdade daquilo.
Não vamos achar que quem muda de ideia não sabe o que quer; e nem que quem não muda é um acomodado ou bobo. Cada um sabe dos motivos e a vida que tem.

Tudo bem se você não quiser o que os outros querem, sua mãe já deve ter te avisado que você não é todo mundo. Tudo bem desejar buscar o normal e o comum, é um desejo como qualquer outro. Tudo bem desejar ter uma família tradicional ou não tradicional, ou até mesmo não ter uma família. Tudo bem desejar casar de branco na igreja, ou preto, ou não casar. Tudo bem ter um relacionamento a três e tudo bem não ter relacionamento nenhum. Tudo bem desejar um emprego com horário fixo, décimo terceiro, e viajar para a Europa nas férias. Tudo bem não fazer nada nas férias também. Tudo bem viver de freelas se você quiser e trabalhar enquanto viaja com seu notebook nas costas.

Tudo bem estudar contabilidade, trabalhar alguns anos em escritório e mudar de ideia depois de “velho” e ir fazer paisagismo. Só não queira enfiar na cabeça dos outros que todo mundo tem que fazer isso também.

O que tem de errado? O que aconteceu que de uma hora pra outra desprezam quem tem esse tipo de vida e o chamam de acomodado ou perdedor? O seu desejo não é o meu desejo.

Por que eu tenho que odiar o meu país? Por que eu tenho que não estar satisfeita com o meu emprego? Por que eu tenho que estar sempre procurando emprego? Não vejo gente fazendo isso com o objetivo de melhorar, vejo gente fazer isso porque está insatisfeita com o que tem e nunca sabe o que quer e aí, quando consegue, não é o suficiente pois só querem saber de ficarem milionários com uma ideia genial de aplicativo.

Qual o problema em desejar uma família como a dos meus pais? Qual o problema em desejar ser como o meu pai é? Eu admiro ele! Por que estão me obrigando (e obrigando todo mundo) a fazer algo grande na vida? O que é fazer algo grande? Salvar sozinho o planeta do aquecimento global? Dar um jeito sozinho na crise mundial? Ir parar no meio de uma guerra, me enfiar na briga e dizer: “Acabou com a putaria!”
Por que ninguém nunca está satisfeito? Por que quando fazemos algo bom não fizemos mais que a obrigação e as pessoas esperam que a gente faça sempre mais? Acho que na atual situação do mundo, deixar filhos bem educados já é fazer algo grande pelo futuro da humanidade. E não deixar nenhum é um favor para o planeta.

O importante não é o que você quer, o importante é que exista o impulso de tornar-se cada vez melhor em algo que importa. E o que importa? O que você quiser que importe, e o caminho que eu vou seguir para melhorar sou eu quem escolho.

Vejo pessoas falarem que saíram da zona de conforto e mudaram, que devemos sair da zona de conforto pra ser uma pessoa melhor.
Que zona de conforto é essa? Fazer o que quer fazer e o que gosta é estar na zona de conforto? Então o que tem de errado com ela?
Sair da zona de conforto é ir fazer algo que você não quer fazer? Sair da zona de conforto é sair do país por que está todo mundo saindo? Sair da zona de conforto é sair da cidade grande e ir morar num lugar mais calmo?
Essa zona de conforto não existe! O que existe é você estar num lugar que não quer estar mas que não descobriu ainda. Quando você se descobre uma pessoa melhor e feliz fazendo algo diferente do que está acostumado a fazer isso não é sair da zona de conforto, isso é descobrir o que você quer naquele momento. E digo “naquele momento” pois somos humanos e podemos sim mudar de ideia, de sonho e de objetivo.

toygif
Isso não é voar, isso é cair com estilo.

Quando você começa a se sentir incomodado com coisas que não sentia antes na sua vida e no seu trabalho está na hora de olhar para você mesmo e perguntar o que tem de errado e quando esse sentimento começou. Você e seus objetivos podem ter mudado e você nem percebeu, não culpe essa “zona de conforto”.

Você já percebeu que todo mundo que diz que saiu da zona de conforto diz estar feliz, realizado e que a vida melhorou? Isso acontece pois a pessoa se descobriu, descobriu o que da certo pra ela, e não necessariamente será o melhor pra você.
Se você está inquieto, inconformado, insatisfeito e desconfortável de fazer o que faz e de estar onde está é porque você ainda não descobriu o seu lugar no mundo… na vida. Quem você é não é quem você quer ser… não mais.

Às vezes a gente se sente bem e feliz fazendo coisas que não deixaria nenhum pai orgulhoso, como ser jardineiro ou floricultor, ser eletricista, ou tosar cachorro no pet shop… sei lá. Se é isso que você gosta, te deixa feliz, e sente que nasceu pra isso então vá fazer isso. Vá fazer um curso ou aprender com alguém. Ninguém tem que falar que não, que é estranho, e que você não vai ser feliz.
Alguém tem que sentar a bunda na cadeira e arquitetar, e alguém vai ter que colocar o muque pra trabalhar e fazer cimento e se você gosta de fazer cimento então esse alguém é você!

“Pra que fazer curso de ______ ? Você vai fazer o que com isso?”

Hoje em dia, parece que escolhem faculdades pensando apenas no nome que ela tem, apenas no dinheiro que você pode ganhar com ela. Pais que obrigam filhos a fazer o curso que não querem em uma faculdade que não querem só pra contar para os amigos e família. Uma espécie de competição pra ver quem tem o filho melhor, quem é o melhor pai que educou melhor o filho e qual filho teve a melhor colocação na lista dos aprovados.
Isso forma médicos ruins que não olham na sua cara e mal tocam em você, juízes corruptos e qualquer outra pessoa que pertença a raça atual de políticos. Não estou dizendo que não penso em dinheiro, penso muito, principalmente quando chega o fim do mês, as coisas não estão baratas, mas ele não é o meu real objetivo, não vou sair fazendo e estudando o que não quero por conta dele.
Vá fazer o curso que você quer na instituição que você quer, e não porque o nome dela tem peso. Aliás, é tanto babaca querendo dar “carteirada” com o nome da faculdade que o peso dela virou peso de m$%&.

Vá fazer o que você quer, nem que seja por hobby. Vai que ele da certo, não é?

Escrevi esse desabafo pois estou cansada de ver gente que não tem nada a ver com a vida de ninguém cobrando coisas que não deveriam cobrar. Querendo que o outro faça também o que o outro fez. E pior, apontando o dedo e esnobando o que não fez, como se fosse melhor.
Gente que diz que vai fazer (mas não faz), te critica e te acha pequeno por não pensar como ela.

Por que essa necessidade de se sentir melhor que o outro em tudo? Estou tão cansada de gente assim que vou começar a morder de verdade quem fizer isso perto de mim.

Cada um tem o seu tempo, cada um tem a sua hora, cada um tem o seu jeito e cada um tem o seu lugar. As coisas acontecem quando tem que acontecer, nem antes e nem depois, mas na hora certa. E não é porque a sua hora — teoricamente — chegou mais cedo que você é melhor.

Comentários

Be kind / Be nice

    • =D Que bom saber que você ainda volta! Quero ver post novo no seu blog heim… conta como as coisas estão aí depois da sua volta.
      Às vezes ainda sai post aqui kkkkkk, ando trabalhando muito e estou fazendo um layout novo pra cá! =D Está quase pronto!!!! Espero terminar até o final do mês!
      Beeeeeijooooos! =*

  • Concordo com tudo que disse. A moral da história é que cada um sabe da sua própria vida, do caminho que trilhou e dos seus próprios sonhos, ninguém tem que cagar regra na vida de ninguém, achando que sabe o que é melhor ou não pro outro, haha.
    KARINE postou recentemente: 18/52: diarinho

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    CommentLuv badge

    %d blogueiros gostam disto: