O Feminismo não é doença como você diz…

Data: 29.08.2016  Categoria: Pessoal  Leitura: 7 minutes 

Algumas vezes eu não sei o que dizer quando vejo pessoas agindo de forma tão conservadora e sexista ao meu lado. Costumo dar aquele sorriso de lado e amarelo esperando a pessoa mudar logo de assunto e parar de falar besteira. Quando essa pessoa é o namorado de uma amiga então, aí que eu não sei o que dizer mesmo.

Apenas não sei o que falar para alguém que condena assistencialismo social de forma egoísta, que fala o que bem entende sobre o que quer, que não está nem aí para os pobres, que chama os beneficiários do Bolsa Família de vagabundos sem realmente conhecer como funciona o programa, que distorce fatos para virar o jogo, que declara e reitera a todo tempo que feminismo é doença, que usa como argumento — para criticar o termo cultura do estupro — pedir que procurem o significado da palavra no dicionário, seguido de um pedido para que quem pensasse diferente o excluísse do Facebook e atravessasse a rua. Por que a pessoa não faz o mesmo para procurar o significado de feminismo? Nós e nossa hipocrisia.

Se você é homem e acha que age de forma correta do ponto de vista feminista, ou da sociedade de modo geral, e fica ressentido quando as mulheres generalizam colocando “você” na mesma categoria de homens errados, se poupe e poupe todo mundo do seu discurso. Ao generalizar — coisa que qualquer um acaba fazendo, inclusive você (e eu) — ninguém está apontando o dedo diretamente na sua cara e dizendo que você é igual. Não precisa sair se defendendo e dizer que você é correto pois ninguém que age de forma adequada faz procurando aprovação.
O gesto correto é necessário em qualquer situação e você não precisa de reconhecimento e recompensas. Se você se sente tão ofendido a ponto de se defender seria melhor rever o seu modo de agir, talvez você não seja tão correto quanto pensava ser. Tente ser mais sensato, exageros existem em todos os lugares, não precisa se ofender.
Quem está do outro lado do computador não sabe que você existe então não tome o dito como se fosse pra você, a não ser que realmente seja direcionado a você. Generalizar não é algo legal de se fazer mas nós fazemos, e não é pessoal. Imagina sair citando nomes ou especificando tudo o que a gente tem pra falar? Não vamos agir com raiva e espalhar mais ódio na internet. Já tem muita gente sofrendo no mundo.

Tudo bem você não ser simpatizante de um movimento político e social que possui a filosofia de conquistar direitos equânimes. Mas não saia por aí espalhando mentiras sobre algo que você nem procurou conhecer. Esse tipo de comportamento acaba incentivando outros a agirem da mesma maneira com algo que também não conhecem mas odeiam mesmo assim pois ouviram alguém dizer coisas horríveis a respeito.

Das coisas que se vê pessoas falarem na rua e na internet sobre o feminismo e as feministas é que elas “são todas putas“, que “não fazem sexo com homens“, que “querem fazer estupro corretivo em homens” e que “querem escravizar homens para coletar esperma e fazer filhos por inseminação artificial já que todas são lésbicas“.
Não consigo acreditar que quem espalha essas coisas realmente acredita no que está falando. Como chegamos nesse nível de intolerância?

O problema de um movimento como esse e que está na moda é que além do que ele leva por si só também leva junto o que o outro acredita, e existem pessoas bem loucas por aí e as distorções só aumentam. Tem gente radical, tem gente violenta, tem gente que não sabe se expressar, tem gente que não sabe se fazer entender. Não culpo homens que pensam que feminismo é algo contra eles, pois tem gente por aí fazendo parecer que é e até dizendo que é. Mas não é! Feminismo não é um livro de regras, então desconsidere qualquer um que faça parecer o contrário.

Desconsidere e respire fundo. Abrir a cabeça não é assim de uma hora para a outra, primeiro vá atrás de mulheres que se dizem feministas e possuem ideias e atitudes que você concorda, comece por aí. Ninguém nunca vai concordar com tudo, mas tire da mente a imagem deturpada que você tem.
Falta de educação não é luta feminista, ataques a homens não é luta feminista, buscar superioridade não é luta feminista, atacar pessoas não é luta feminista, tomar conta das escolhas pessoais de cada um não é luta feminista, odiar homens não é luta feminista, enaltecer mulheres não é luta feminista. Se algumas mulheres odeiam homens elas não odeiam porque são feministas, elas odeiam por outro motivo e já odiavam antes. Tendo isso em mente você já filtra muita coisa ruim.

Essas feministas da vertente radical desagradam muitas outras feministas por aí e desencorajam outras tantas.
Tem muito militante focado em julgar as escolhas que cada mulher faz da sua vida pessoal tentando controlar os mínimos detalhes de aparências e comportamentos, tentando silenciar quem não pensa igual. Alguns desses grupos vencem e estão até aparecendo ex-feministas por conta disso. Quem quer ser associado a esses grupos radicais? É compreensível mas é triste ver gente buscando a igualdade e não se declarando feminista, isso abre espaço para essas outras interpretações bem erradas.

Feminismo não é o horror que pensam que é, nem doença, como esse tal namorado falou. O cotidiano das mulheres ainda é permeado de situações machistas e tentativas de diminuir seus direitos.
Buscar igualdade não significa ser igual aos homens, não vamos passar por cima de questões biológicas. Nem reproduzir o mesmo comportamento. Cada um tem o direito de ser o que é e o que quiser ser, o que não pode é se esconder por pressão dos outros. Não vamos nos limitar a esse pensamento de vulgarização feminina. Feminismo nada tem a ver com contas a serem pagas, portas de carro, carregar cimento, arroto, vestuário, pelos e vaidade. Isso tudo é muito superficial e pertence a escolha do indivíduo. Vamos focar no que é mais profundo e mais geral.

Então por que as feminazis não lutam pelo alistamento militar obrigatório, já que querem igualdade?
Primeiro porque quando a lei foi promulgada eram os militares que estavam no poder, para as mulheres o alistamento ficou facultativo por decisão deles, por ser considerado o sexo frágil. Resumindo, homens como você não queriam mulheres de roupa camuflada e armas na mão. Isso não é questão das mulheres não quererem, sempre houve a luta para entrar nas forças armadas, elas simplesmente não podiam servir.
Nenhuma feminista que conheço ou que acompanho na internet é a favor do alistamento militar obrigatório.
Muitos países já aboliram o serviço militar obrigatório, por que os homens não lutam por isso? Por que nivelar por baixo e não por cima?

Recomendo:

Feminismos, neofeminismo e a luta pelos direitos das mulheres

Sobre a cultura do estupro


FONTES:
O significado de Feminismo no Dicionário [http://www.dicio.com.br/feminismo/]

FAQ Feminista – Alistamento Militar Obrigatório [http://www.naomekahlo.com/#!FAQ-Feminista-Alistamento-Militar-Obrigat%C3%B3rio/c1a1n/7EB91C39-9DE2-486B-B420-D25BEF322E82]

Cynthia Semíramis – Por que continuo me identificando como feminista [https://cynthiasemiramis.org/2016/08/18/por-que-continuo-feminista/]

Fatos Desconhecidos – Por que mulheres não são obrigadas a se alistar no exército [http://www.fatosdesconhecidos.com.br/por-que-mulheres-nao-sao-obrigadas-se-alistar-exercito/]

Comentários

Be kind / Be nice

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    CommentLuv badge

    %d blogueiros gostam disto: